Skip to content

Posts from the ‘ENTREVISTAS’ Category

22
Mar

A ENTREVISTA (IM)POSSÍVEL


ENTREVISTA ONLINE
Por altura do 100º dia de mandato, sugeri fazer no grupo ESPINHO do Facebook, a primeira entrevista on-line ao Presidente da Câmara Municipal de Espinho, Dr. Pinto Moreira.
Como era de esperar a adesão foi de 100% mas o Presidente, que até é membro do grupo, não respondeu nem deu qualquer justificação.
Assim, imaginamos quais seriam as respostas do putativo entrevistado, para os ainda conseguem ACREDITAR nele.
Avelino Lago
A minha pergunta, engloba três questões:
1 – porque é que não se faz um horário mais flexível na biblioteca desta Cidade;
2 -porque à segunda feira só abre as portas a partir das 14h, “embora sabendo que é um horário nacional”, será que o município não tem poderes para alterar isso?!
3 – que tipo de formação têm os funcionários da biblioteca, “com critérios muito impróprios”?
A nova Biblioteca ainda não abriu…
Foi inaugurada com toda a pompa e circunstância pelo meu antecessor, apenas a dois dias do acto eleitoral com um intuito meramente eleitoralista.
A Biblioteca não tem livros, não tem um quadro de pessoal regular, não tem mobiliário, o que é absolutamente lamentável!
A senhora Vereadora, Dr.ª Manuela Aguiar e a sua equipa estão a produzir um excelente trabalho para resolver imediatamente todos esses problemas.

José António França
Pergunta para o presidente: é sobre a auditoria ao Executivo de José Mota que prometeu, durante a campanha eleitoral, nomeadamente durante o debate na Junta de Freguesia, em que participei como moderador. Houve auditoria? Se houve, qual a empresa que a está efectuar para quando se prevêm os resultados (já era tempo!)? Caso contrário, qual o motivo da sua não realização, em contradição com a promessa eleitoral?
Ainda bem que me faz essa pergunta!
A auditoria foi entregue a uma empresa externa, cujo nome não me ocorre, de momento.
Agora, que o orçamento 2010 foi aprovado, tenho a certeza que lhes podemos pagar e eles vão apresentar resultados.
Posso antecipar-lhe que, no mínimo, ficaremos com um bom Manual de Instruções sobre como se faz uma auditoria e, no máximo, terei um Relatório para dar um ralhete político e rentabilizar a minha imagem nos media, para que não me voltem a chamar “Pinto Ribeiro”.

Como é que é possível que, em pleno sec XXI, a Câmara de Espinho permita a presente degradação do planeamento urbano e da via pública (os maiores bens comuns a todos os espinhenses), dando espaço a buracos, covas, lombas e afins por toda a cidade?
A culpa de tudo isso é do meu antecessor que deixou esta cidade desmazelada e decadente.
No que toca ao planeamento, estamos a rever a revisão do PDM. Contratamos um conhecido arquitecto local, que foi o Mind Coach da minha campanha eleitoral e que, também, projecta para o nosso concelho. É uma espécie de dois em um, que permitirá agilizar todos os processos – os nossos e os dele. A transparência entre mim e ele será total e não vejo nisto qualquer conflito de interesses.
Relativamente à segunda parte da sua questão, o senhor Vereador Dr. Quirino de Jesus, juntamente com os serviços municipais, têm feito um excelente trabalho nessa área já com alguma visibilidade, por exemplo, retirando o desnivelamento da Rua 23, no cruzamento com a Rua 20, onde, eu próprio, bati várias vezes com o meu KIA, no regresso do escritório a casa.
Estamos a requalificar a requalificação!

Diogo Almeida E Silva

Sabendo das horríveis situações em que o anterior executivo deixou a autarquia (financeiramente e cataclismo urbano) quais são as medidas mais prementes a tomar? Ainda há tempo para solicitar apoios ao QREN e quais os apoios que serão solicitados?
Diz bem, de facto são “horríveis” as condições financeiras em que o meu antecessor deixou esta Câmara. Até a mim me dá vómitos e eu sou jurista!
O enterramento da linha de caminho de ferro, lançou a cidade num autêntico estado “cataclismo urbano”, que só tem par em Nova Iorque após o 11 de Setembro. Aguardo um Relatório que mandei elaborar, para tomar medidas adequadas.
Quanto ao QREN, deixe-me dizer-lhe, que não existia na CME uma organização devidamente habilitada para apresentação de candidaturas e projectos de execução junto dos organismos que distribuíam as verbas do QREN, o que é absolutamente inaceitável!
Desperdiçaram uma oportunidade de criar uma empresa municipal, de sub-contratar uma assessoria. Incrível!
E, mesmo assim, as candidaturas faziam-se, eram aprovadas e as verbas chegavam, o que é um paradigma…
Por despacho nomeei mais uma comissão técnica multidisciplinar para fazer um levantamento de todas as instalações da CME e confirmar se não me falta conhecer nenhum gabinete.

Vitinho Rodrigues
Respectivamente ao sector do Turismo, Espinho está demasiado agarrado à praia e ao casino.
E as ideias que surgem do respectivo posto de turismo de Espinho são meras cópias de outros municípios. Sendo eu um aluno a tirar a Licenciatura de Turismo na Universidade de Aveiro, preocupo-me em especial com este sector.
A pergunta prende-se simplesmente com o seguinte, Castro pré-romano de Paramos, Aeródromo, Centro Hípico, Barrinha de Esmoriz/Paramos, Centro Multimeios, espaços de diversão nocturna, o “Museu” situado no Bairro, e até as próprias praias.. o que fazer? Há ideias para recuperação dessas áreas e desenvolvimento das mesmas?
Não consigo conceber Espinho sem o Casino, a Praia e uma loja da Radio Popular.
Vamos elaborar parcerias com todos eles para  catalisar a dinâmica social, cultural e turística, organizando e promovendo eventos de qualidade que chamem gente a Espinho.
Vamos colocar Espinho no mapa.

Miguel Bastos Pires

Penso que larga percentagem dos jovens com habilitações superiores (e não só?) de Espinho são “obrigados” a trabalhar noutras cidades e em muitos casos terão mesmo de deixar de morar em Espinho. Há alguma estratégia para promover a criação e fixação de novas empresas em Espinho?
A culpa de tudo isso é do meu antecessor que nem sequer ia ás reuniões da Junta Metropolitana do Porto e que deixou o concelho com um desemprego elevado e com uma economia local estagnada.
Estamos a trabalhar fortemente nessa área, planificando o futuro e reunindo com investidores.
Já nomeamos uma dúzia de novos assessores e vamos criar novas empresas municipais para a gestão de equipamentos, gestão de recursos hídricos, ambiente, etc.
O senhor Vice-Presidente, Dr. Vicente Pinto e a sua equipa estão a trabalhar afincadamente nesse processo.


Paulo Jesus

Acha correcto que os Bombeiros Voluntários tenham de pagar o estacionamento quando estão no quartel ou ao serviço do Corpo de Bombeiros? Por que razão não são reservados para os Bombeiros os lugares de estacionamento na Rua 27 entre as ruas 16 e 18 e na Rua 16 entre as ruas 19 e 15?
Existe algum Plano de Emergência para o túnel ferroviário? Em caso afirmativo, o mesmo é do conhecimento dos agentes de protecção civil, nomeadamente, Bombeiros, INEM e PSP?
Quando será testado o Plano?
Estamos neste momento sentados à mesa com a concessionária do estacionamento a analisar todas essas questões.
Posso, desde já, adiantar que decidi não vão executar o Parque da Igreja Matriz, que a Rua 23 irá ser rebaixada, mas os acessos ao Parque João de Deus ficarão fora do canal da rua, que esse Parque irá ser reduzido, ficando com menos lugares e mais económico para a concessionária que, em breve irá avançar com a segunda fase dos parcómetros. Não me recordo, assim de repente, quais as vantagens de tudo isto para a Câmara, mas devem ser boas. Pelo menos, o vinho era bom!
O Plano de Emergência já foi testado. Desde que não seja preciso entrar com veículos dos Bombeiros dentro do túnel, tudo bem!
Mas para que querem os Bombeiros levar lá os carros se podem ir de comboio?

Margarida Ferreirinha

Sr. Presidente, vai permitir a construção de mais caixotes em parques públicos, ou recuperar o pouco glamour que resta da cidade?
Sabe onde estão as pedras da calçada que arrancaram aos passeios de Espinho?
A Avenida vai continuar um estaleiro de fim de obra quanto mais tempo?
E as condutas de água a rebentar continuamente para os lados da Académica?
Os poucos palacetes que sobram, vão ter utilidade pública?
Por certo que vamos ter uma cidade e um concelho com muito mais glamour ou não tivesse eu contratado o arquitecto com sentido de sensualidade, para coordenar a revisão da revisão  do PDM. Desculpe perguntar, mas você também escreve na Bancada Central?

Bruno Lopes

Sr. Presidente, na cultura, estão previstos além dos habituais festivais, outro género de eventos, de forma a cativar e motivar a juventude espinhense?
Qual o aproveitamento da esplanada e praia, ao nível de actividades?? Fui no passado verão a Matosinhos, e vi praias e esplanadas cheias de animação. Será que finalmente vamos ter algo parecido??
Parecido não. Melhor!
Estamos a elaborar a praça das Portas do Mar (só o nome lembra-me bacalhau).
Vamos construir apoios de pesca para os pescadores poderem guardar o peixe congelado que vem de Matosinhos e juntar-lhe areia em privacidade.

Raul Carvalho

Qual a posição da autarquia em relação à colocação de portagens na dita IC1 passada a A29. E qual pensa ser o impacto que isso trará para a cidade e seus moradores.

Tal como no TGV serei coerente com as posições que assumi em plena campanha eleitoral.
Sou contra e estou disponível para, em conjunto com outros municípios, encontrar formas de protesto e de luta contra as portagens na A29.

Rita Paupério
Sr. Presidente qual a posição/objectivos desta câmara relativamente à “imagem” de Espinho? Para quando um Departamento de Comunicação e Imagem que possa gerir a forma como Espinho comunica, divulga e informa todas as iniciativas, eventos e a própria cidade? Vamos promover a marca “Espinho”?
Queremos o Município e as empresas privadas a trabalhar concertadamente no desenvolvimento de uma dinâmica turística e económica que integre de forma coerente e complementar a frente de mar e o espaço praia; a hotelaria e a restauração; o turismo de congressos e de negócios; o turismo de saúde e bem-estar; as tradições como a feira semanal e actividade piscatória; o turismo cultural e ambiental.
Queremos colocar Espinho no mapa dos grandes eventos.
Não sei exactamente o que é que isto quer dizer nem quem esta a tratar disto com a sua equipa, mas sei que o estão a fazer um excelente trabalho, até já fomos a Santiago de Compostela.

Brinko Montfermeil

Uma simples pergunta visto que não conheço muito de politica,
que pensa melhorar em Espinho ?
Modéstia à parte, TUDO!
Ainda em campanha eleitoral, fizemos um diagnóstico do que está mal no concelho e apontamos as medidas e as soluções que reportamos eficazes para alterar o actual estado das coisas em Espinho.
Uma vez eleitos só nos resta mudar o que está mal.
Já apresentamos propostas contrair novos Empréstimos a curto prazo; para aprovação de aumento das Taxas, sobre Recursos Hídricos; sobre a utilização de Equipamentos Culturais, Desportivos e Recreativos; de aumento do Tarifário relativo ao fornecimento de serviços de Água, Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos, de aumento das Taxas do Imposto Municipal sobre Imóveis, lançamos uma Derrama pelo valor máximo permitido por Lei sobre as actividades de natureza comercial, industrial e agrícola e não residentes com estabelecimento estável nesse concelho e aumentamos as Taxas Urbanísticas.
Colocamos (provisóriamente) contentores para apoio à pesca artesanal e vamos colocar sanitários na Feira semanal.
O resto terá de aguardar pois ainda não temos projectos, terrenos, candidaturas e dinheiro.

Paulo Jorge Coelho Paula

Nasci em Espinho à 40 anos. Vivi quase sempre em Espinho (exceptuando a minha passagem por Aveiro, para estudar). Nunca vi a minha cidade tão deprimida, tão suja, tão descuidada e com tão pouca esperança no futuro.
Sou militante do PSD e votei neste presidente.
As minhas perguntas são mais sugestões, mas mesmo assim arrisco a fazê-las.
Porque não se cria um objectivo em Espinho, um objectivo comum, do género: Espinho, cidade amiga dos peões, amiga dos animais (veja-se a quantidade de animais abandonados na rua, que dá á cidade um aspecto terceiro mundista)?
Não seja tão pessimista, nem parece do PSD!
Repare, notam-se já algumas diferenças: uma dinâmica nova  e uma interacção com os serviços, que nunca estiveram tão motivados; uma nova envolvência com os espinhenses, uma disponibilidade e uma capacidade de trabalho maiores.
Como disse o poeta do realismo espanhol do século XIX, Ramón de
Campoamor y Campoosorio “a melhor essência da beleza é o perfume
sem perfume da limpeza”.
Eu quero uma cidade limpa por natureza!
Não há nada mais natural do que a própria natureza!

Cineia Kristensen

Vivi 25 anos em Espinho, hoje estou fora e cada vez que vou ai passar férias, arrependo-me! Espinho tornou se uma cidade sem vida…uma cidade fantasma…deprimente mesmo! Que pena!
Será que vai haver mudanças?
Claro que vai!
O plano de Desenvolvimento Estratégico de cinco vértices já está a rolar.
Os programas Espinho Reabilita, Espinho Amigo, Espinho Investe, Espinho Inova, Espinho Verde, Espinho Praia, Espinho Gest, Espinho Viva, Espinho Junta, Espinho Solidário e os sub-programas, Escola Nova, Vida Bela, Requalificação Urbana, Bairro com Pinta (gosto deste!), Criação de Emprego, Atractividade e Segurança, Espinho Digital, Autarquia Transparente, Limpeza e Asseio, Energias Renováveis, Praia Limpa, Maresia, Gestão Empresarial, Marca Espinho, Eventos, Tradições, Delegação de Competências, Associativismo, os Nossos Jovens e Os nossos Idosos, são para cumprir.
Você nem imagina o trabalho que deu descobrir estes nomes!

Manuela Lima

Um pequena pergunta para uma resposta que Acredito seja frontal. Dr Pinto Moreira, vai ou não vai responder a estas questões? Basta dizer Sim ou não. Em democracia há que aceitar as decisões de cada um…
Minha cara amiga, tenho o meu próprio estilo e personalidade formatados pela minha educação e formação humana e não vou alterá-los pelo facto de ser Presidente da Câmara Municipal.
Espinho sempre foi, e continuará seguramente a ser, uma terra de liberdade, de verdade e de fair play democrático.
Estamos inteiramente disponíveis para o exercício democrático, para sermos escrutinados, fiscalizados e incentivados, quer pela oposição quer pelos cidadãos.
Obviamente que NÃO!

Claudia Soares

Saí de Espinho faz agora 9 anos e sempre que volto vejo que tudo está na mesma. Espinho parou no tempo, está uma cidade feia, triste amargurada. Os mesmos passeios por arranjar desde que eu nasci, os mesmos terrenos abandonados no centro de cidade, os mesmos problemas para resolver mais aqueles que foram sendo criados.
Isto até quando?????
Parafraseando Winston Churchill :
“Os problemas da vitória são mais agradáveis do que aqueles da derrota, mas não são menos difíceis”.
E, invoco, também, a propósito o pensamento do nosso inspirador Francisco Sá Carneiro:
“A Democracia é difícil e exigente, mas dela não nos demitimos” e  “Quero um país em que os idosos tenham presente e os jovens tenham futuro”.
Acho que já não me lembro de mais nada para citar, mas creio ter respondido à sua pergunta.

Liliana Ribeiro

Sr. Presidente Pinto Moreira, tem noção de que um visitante de Espinho, alguém que eventualmente conheça ou não a cidade, que já a tenha visto diferente ou não, no momento em que percorre as suas ruas fica com a nítida sensação de que está numa cidade fantasma?? O vento ecoa pelo vazio que preenche as ruas, a praia… e o quase assustador edifício da Biblioteca, de tão vazio e frio que se apresenta ao mundo…
Neste ainda pequeno período em que ocupa o cargo de Presidente da Câmara, equacionou já as necessidades imediatas de formar uma equipa de gestão?…
Vi o seu sorriso de satisfação no dia do desfile de Carnaval das Escolas, percebi o seu entuasiasmo… mas… o Sr. viu o silêncio e o vazio que se apoderou da cidade assim que as crianças foram embora?
Apenas um exemplo: Que sentido fez, no dia do Desfile de Carnaval, em que se reuniram as crianças em frente ao Centro Multimeios, que as mesmas se sentassem no asfalto, frio e encardido, para aquilo a que chamaram estranhamente de “lanche”, enquanto ao mesmo tempo, um tractor removia as terras e o relvado circundante ao Multimeios??
Gestão. Organização. Planeamento. Seja um observador e…. HAJA!
Importa-se de repetir a pergunta, se faz favor.

Bruno Lopes

Sr. Presidente, esta nos seus planos criar uma rede mais eficaz de transportes públicos?? Rever a localização das actuais paragens de autocarros ( algumas delas em cima de semáforos)?? e final, se está nos seus planos trazer o metro de Gaia até Espinho?
Ainda não perdi a esperança de construir uma marina… Se a concretizarmos será um projecto âncora (soa bem!), um pólo de desenvolvimento e promoção turística do nosso concelho. Porque não ir até Gaia de barco?

Maria João Dias

Qual a sua opinião sobre a oportunidade e localização das obras de rebaixamento da linha de comboio e se considera que é uma obra que envergonha ou enaltece Espinho?
Eu tenho uma ideia, muito própria, que era, encher aquilo tudo de areia.
É a nossa idiossincrasia.
Criar uma praia artificial intermédia, só para banhos de sol. Seriamos a primeira cidade costeira com uma praia em plena malha urbana. Giro, não é?
E 5 milhões de Euros já dá para comprar muita areia.
Para a animação turístico-cultural desse espaço conto com o apoio e colaboração inexcedíveis da Junta de freguesia de Espinho e de Rui Torres, o seu Presidente.

Carlos De Melo Sarria

Para terminar, Sr. Presidente, permitiria a construção de um parque eólico em frente ao nosso pôr-do-Sol?
Porque não?
Estamos a analisar  o estudo de impacto ambiental com a CCDR por causa das gaivotas, mas de certo que será uma forma de pormos a nossa nortada na linha da frente das fontes de energia renováveis, diminuindo custos e tornando o nosso planeta mais sustentável.
Eu gosto das ventoinhas à frente do Sol. Quem não gosta?
%d bloggers like this: